Exilada

Há séculos,
reside uma mulher idosa
ancorada entre as rochas,
em plena cidade, exilada.

Há quem lhe dirija a palavra,
há quem lhe compre sorvete,
quem lhe verta moedas,
ou quem lhe jogue água suja.

Há séculos,
existe esta mulher idosa,
para sempre condenada
a depender de ajudas.

Há quem lhe rogue uma praga,
há quem lhe doe cobertas,
quem lhe aperte as amarras,
ou quem lhe agite a revolta.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.